Dicas e Curiosidades || Saúde: Vacinação canina

Saúde: Vacinação canina
Saúde: Vacinação canina

Um esquema de vacinação completo é o cuidado mais importante do programa preventivo de saúde de um cãozinho, pois evita que ele fique susceptível a várias doenças infecto-contagiosas geralmente letais quando acometidos nessa idade.

Vacinando-o corretamente contra as doenças mais freqüentes, você estará preservando não só a saúde dele como de toda sua família, pois algumas delas são transmissíveis aos seres humanos (zoonoses) – ex.: leptospirose e raiva.

O cronograma e o tipos de vacinas a serem aplicados varia de acordo com o estado de saúde dos filhotes, o sistema imunológico da mãe, o local onde fica a ninhada, a presença de outros animais, a região e a estação do ano.

Todos esses fatores devem ser analisados por um médico veterinário, que estabelecerá o programa mais adequado para cada situação.

Cronograma
Um programa de vacinação simplificado para filhotes pode ser realizado da seguinte maneira:

1ª DOSE: Vacina óctupla (V8) e vacina contra tosse dos canis com 2 meses de idade;

2ª DOSE: Vacina óctupla (V8) e vacina contra giardíase canina com 3 meses de idade;

3ª DOSE: Vacina óctupla (V8) e vacina contra tosse dos canis com 4 meses de idade;

4ª DOSE: Vacina anti-rábica e vacina contra giardíase canina com 5 ou 6 meses de idade.

Prevenção
– Mantenha todas as vacinas sempre em dia;
– Combata os roedores que possam freqüentar o mesmo ambiente do cão, pois eles são os reservatórios primários da leptospirose;

– Evite locais onde há grandes aglomerações de cães (ruas, praças, parques e jardins públicos, exposições de cães, hotéis para cães, banho e tosa);
– Mantenha os animais em pisos concretados para que a higiene e limpeza sejam eficientes, eliminando a possibilidade de agentes patogênicos permanecerem viáveis no ambiente.

Animais adultos
A vacinação deve ser realizada anualmente, com uma dose de vacina óctupla (V8), vacina anti-rábica, vacina contra giardíase canina e vacina contra tosse dos canis.

Dependendo da rotina, do ambiente onde vive e se existe a possibilidade do animal ter contato com urina de ratos, devemos também vaciná-lo semestralmente contra leptospirose.

Um esquema de vacinação completo protege o cão contra: Cinomose (Paramixovírus); Parvovirose (Parvovírus); Coronavirose (Coronavírus); Hepatite Infecciosa (Adenovírus tipo 1); Giardíase Canina (Giardia lamblia); Leptospirose (L. canicola e L. icterohaemorrhagiae); Traqueobronquite Infecciosa Canina comumente chamada de “Tosse dos Canis” (Adenovírus tipo 2, Parainfluenza tipo 2, Bordetella bronchiseptica) e Raiva (rabdovírus).

Doenças evitadas

Cinomose
É uma doença viral sistêmica altamente contagiosa provocada por um Paramixovírus. A taxa de mortalidade provocada por essa doença é altíssima em filhotes, pois não existe um tratamento específico.

A principal via de infecção é através da inalação do vírus em gotículas de aerossol eliminados por animais infectados. Geralmente acomete o sistema digestivo, o sistema respiratório e o sistema nervoso.

Os sintomas mais comuns são: apatia e febre; perda de apetite; vômitos e diarréia; corrimento oculonasal intenso; tosse intermitente; tremores e incoordenação motora; paralisia de membros e convulsões.

Parvovirose
É uma doença viral altamente contagiosa provocada por um Parvovírus. A taxa de mortalidade provocada por essa doença é muito alta em filhotes, principalmente se não forem tomadas medidas terapêuticas urgentes e intensivas de suporte em sua fase inicial.

A principal via de infecção é através da ingestão de material fecal de animais infectados. Acomete o sistema cardiovascular e principalmente o sistema digestivo.

Os sintomas mais comuns são: apatia e febre; perda de apetite; vômitos e muita diarréia sanguinolenta.

Coronavirose
É uma doença viral altamente contagiosa provocada por um Coronavírus, com sintomatologia similar a parvovirose, mas de uma maneira mais branda. A taxa de mortalidade provocada por essa doença pode ser alta em filhotes, se não forem tomadas medidas terapêuticas urgentes e intensivas de suporte em sua fase inicial.

A principal via de infecção é através da ingestão de material fecal de animais infectados. Acomete basicamente o sistema digestivo.

Os sintomas mais comuns são: apatia; perda de apetite; vômitos e muita diarréia com presença discreta de sangue.

Hepatite Infecciosa
É uma doença viral altamente contagiosa provocada pelo Adenovírus tipo 1. A taxa de mortalidade provocada por essa doença é altíssima em filhotes, pois não existe um tratamento específico.

A principal via de infecção é através da ingestão de saliva, urina e fezes de animais infectados. Geralmente acomete o sistema respiratório, o sistema urinário e principalmente o sistema digestivo.

Os sintomas mais comuns são: apatia e febre; perda de apetite; sede; vômitos; diarréia com presença ou não de sangue e muita dor abdominal.

Leptospirose
É uma doença bacteriana contagiosa provocada pela Leptospira spp. É uma zoonose importante, isto é, essa doença pode ser transmitida ao homem. A taxa de mortalidade provocada por essa doença é altíssima em filhotes, principalmente se não forem tomadas medidas terapêuticas urgentes e intensivas de suporte em sua fase inicial.

A principal via de infecção é através do contato direto com urina e tecidos contaminados. Os roedores são os principais reservatórios dessa doença. Geralmente acomete o sistema cardiovascular, o sistema digestivo e principalmente o sistema urinário.

Os sintomas mais comuns são: apatia e febre; perda de apetite; sede; vômitos; diarréia com presença ou não de sangue; dor abdominal; pele e mucosas com coloração bem amarelada (icterícia).

Traqueobronquite Infecciosa Canina (Tosse dos Canis)
É uma doença altamente contagiosa provocada geralmente pela associação de vários agentes: a bactéria Bordetella bronchiseptica e os vírus: Parainfluenza, Adenovírus tipo 2; Reovírus tipo 1, 2, 3 e Herpesvírus.

A taxa de mortalidade provocada por essa doença é alta em filhotes, principalmente se não forem tomadas medidas terapêuticas urgentes e intensivas de suporte em sua fase inicial, a doença pode evoluir para uma broncopneumonia.

A principal via de infecção é através da inalação dos agentes em gotículas de aerossol eliminados por animais infectados. Acomete basicamente o sistema respiratório.

Os sintomas mais comuns são: apatia; perda de apetite; corrimento oculonasal discreto; muita tosse seca e improdutiva geralmente seguida por engasgos e ânsia.

Giardíase
É uma doença altamente contagiosa provocada por um protozoário de dimensões microscópicas, formato piriforme, dois núcleos e simetria bilateral.

A principal via de infecção é através da ingestão de alimento ou água contendo cistos.

No cão (hospedeiro definitivo), localiza-se principalmente no intestino delgado, alimentando-se da massa homogênea resultante da digestão gástrica dos alimentos (quimo).

Parasita o animal roubando e impedindo a absorção correta de nutrientes e atrapalhando o trânsito intestinal.

É uma zoonose, pois o homem pode ser um hospedeiro acidental e desenvolver a doença com sintomatologia similar se ingerir cistos.

Raiva
É uma doença viral contagiosa dos cães provocada por um rabdovírus. É uma zoonose importante, isto é, essa doença pode ser transmitida ao homem. A taxa de mortalidade provocada por essa doença é de 100% tanto em filhotes como em adultos, pois não existe um tratamento específico.

A principal via de infecção é através da mordedura de um animal raivoso, pois sua saliva contém uma alta concentração do vírus. Acomete basicamente o sistema nervoso.

Os sintomas mais comuns são: alterações comportamentais; falta de sede e apetite; salivação intensa; agressividade irracional e paralisia progressiva.

COMENTÁRIOS

← VOLTAR

Publicidade

Concurso de Fotos para Cachorro