Dicas e Curiosidades || Saúde: Gestação Psicológica

Saúde: Gestação Psicológica
Saúde: Gestação Psicológica

O que fazer quando sua cadela, depois do cio e mesmo virgem começa a fazer ninho pela casa, se comportar de maneira estranha, chorar pelos cantos e… ficar com as tetinhas cheias de leite, mesmo que você tenha certeza ABSOLUTA que não houve acasalamentoter? Ela pode estar ”grávida” psicologicamente!

Leia abaixo as sugestões da treinadora e especialista em comportamento canino Claudia Pizzolatto, que gentilmente colabora neste número.

A gravidez psicológica em cadelas é muito mais comum do que nós pensamos. Normalmente ocorre em cadelas que nunca cruzaram e que já passaram por mais de um cio, mas também pode acontecer logo no primeiro.

As causas biológicas estão relacionadas com um hormônio que precede o cio, chamado progesterona. Sua produção se estende por dois meses na cadelas que não foram fecundadas e, para as que tiveram filhotes, por mais dois meses após o parto.

As causas sociais/psicológicas seriam um resquício do comportamento primitivo, da época em que os cães viviam de forma selvagem como os lobos, e visava ajudar na alimentação e proteção dos filhotes.

Acontece que entre os lobos, normalmente, só a fêmea líder irá ser fecundada pelo macho líder. Isso garante não só que irão nascer os filhotes com maiores chances genéticas de superioridade, como também que o grupo será capaz de garantir a sobrevivência de um número limitado de filhotes. Como geralmente a fêmea líder é uma melhor caçadora que as fêmeas mais submissas, ela provavelmente precisará sair da companhia dos filhotes para caçar.

É justamente aí que entra a sabedoria da Mãe Natureza e a utilidade da gravidez falsa. Para garantir que os filhotes serão alimentados e protegidos, as fêmeas submissas e não fecundadas têm a gravidez falsa e passam a alimentar e a tomar conta dos filhotes quando a mãe deles não está presente.

Nas nossas amiguinhas peludas, os sintomas são iguais aos da verdadeira gravidez e incluem falta de apetite e vontade de brincar ou ficar perto de humanos, posse e proteção exagerada de objetos como sapatos, camisetas, pedaços de pano, almofadas ou bichinhos de pelúcia. Elas podem inclusive apresentar comportamento agressivo e, por incrível que pareça, a agressão por proteção maternal é mais comum em fêmeas que não possuem filhotes do que nas que acabaram de parir. Felizmente estes sintomas são passageiros (duram em média 2 meses) e o jeito é ter paciência e deixar a bichinha curtir os ”nenês” dela.

Não acho que seja necessário nenhum medicamento para acabar com o leite ou coisas assim. Compre um bichinho de pelúcia e deixe ela adotar o brinquedo como se fosse o filhote dela, que assim ela fica menos frustrada. De qualquer forma, convém procurar seu veterinário para uma consulta e certificar-se de que é só uma gravidez psicológica mesmo.

Claudia Pizzolatto – Treinadora e Especialista em Comportamento Canino
Lord Cão – Treinamento de Cães

COMENTÁRIOS

← VOLTAR

Publicidade

Concurso de Fotos para Cachorro